Doze de Maio

Chore, amiga. Choro é sinal de dor, não de fraqueza. Se nos dói a injustiça é por integridade, nunca fragilidade. Saiba quem somos para saber o que sente.

Só o tempo é rei. Não nos pertencem os inícios nem os fins. A nós pertencem as escolhas.

Escolhas humanas.

Todos somos muito parecidos na humanidade. Portanto, desconfie do que parece sobre-humano e não tema a autoridade dos fraudadores: Esses deturpam textos antigos, encadernam papéis e assinam documentos. Esses mesmos mentiram ao dizer que descobriram esta terra quando aqui moravam povos. Mentiram desenhando mapas bonitos e escrevendo seus nomes neles. Mentiram ao dizer que catequizavam por piedade; Sequer bondade era. Mentiram que seres humanos eram mercadoria. Mentiram que a escravidão era boa para os escravos. Mentiram ao dizer que haviam humanos inferiores. Mentiram ao chamar massacres de guerras. Mentiram. Mentem. Mentirão.

Os papéis que eles forjaram estão por todas as bibliotecas e todos os cartórios, mas no território que dizem possuir jaz o sangue e os ossos daqueles que viveram do trabalho a terra.

Quero que entenda: O melhor que papéis com palavras podem fazer é a verdade, mas não são a verdade. Direitos não são papéis a serem rasgados. Dignidade não é um texto a ser reescrito.

Os direitos são o sangue e a carne do povo. A dignidade são seus ossos. Por isso, não se reconhece uma tirania por seus papéis e seus textos, mas olhando para as marcas nos corpos do povo. Assim também a legitimidade de leis e instituições não está em seu aparato nem em seus representantes, mas se nenhum povo é oprimido no exercício deste poder.

Não tema a ostentação dos brutos. Eles gritam nomes de torturadores e carrascos para que não lembremos. Pois apesar de toda a escravidão e seus terríveis instrumentos de punição; Apesar de toda o cárcere, a tortura e censura; Apesar de toda a mentira escrita, fotografada e filmada, publicada e transmitida de todas as formas possíveis. Apesar de tudo isso, o povo ainda luta por seu sangue e seus ossos. É a luta por liberdade.

Portanto, embora atinjam libertadores a todo momento com tiros, castigos e calúnias dos mais cruéis, nunca puderam sequer tocar a liberdade. E ela paira sobre o horizonte como o Sol. Então eles gritam e agridem, na tentativa de distrair o povo do seu destino.

É o melhor que podem fazer. Tanto eles quanto nós só fazemos escolhas. Porque só o tempo é rei.

mais textos em transliteracao.com.br

Gostou do texto? Divulgue entre os seus amigos! Obrigada!
no facebook | no google+

Deixe uma resposta